Unisinos RS

Construções sustentáveis serão maioria até 2020

Publicado

A construção civil tradicional como conhecemos está com os dias contados. Um novo estudo da Pike Research aponta que a receita de construção sustentável irá crescer vertiginosamente nos próximos 20 anos: as projeções indicam que as receitas de edifícios verdes sejam de US$ 690 bilhões em 2020 e, em seguida, pulando para US$ 3 trilhões até 2035.

O relatório afirma que o objetivo de projetar construções de energia zero ou ainda edifícios que consomem tanta energia quanto a produzida por eles próprios são a próxima fronteira mais importante. Por trás desse impulso em direção aos prédios verdes estão uma série de novos códigos de energia zero, metas de construção e regulamentos regionais – como alguns que já estão sendo praticados inclusive no Brasil.

Os sistemas de energias renováveis têm também na certificação LEED a oportunidade de expansão, já que as adaptações são cada vez mais difundidas e procuradas. Em algumas áreas, entidades governamentais já estabeleceram metas de longo prazo (em média até 2016) e regulamentos que exigem construção de edifícios de energia zero.

Essa tendência de construção verde e a crescente popularidade dos edifícios comerciais sustentáveis poderão, em breve, ajudar a reduzir a enorme quantidade de energia consumida em todo o mundo. Soluções como ecotelhado, ecoparede e ecopavimento fomentam o crescimento imobiliário sustentável.

Posts relacionados:

>>> Reaproveitamento de água vira lei em Niterói

>>> Telhados Verdes podem ser obrigatórios em condomínios

>>> Ecotelhados podem ser obrigatórios em prédios em Beirute