Unisinos RS

Pesquisa da Nasa comprova: Plantas filtram os ambientes internos

Publicado

Em recente conclusão de estudo realizado durante 15 anos pela Nasa, numa parceria com a Associated Landscape Contractors of America (ALCA), houve a comprovação de que certas plantas tem a capacidade de remover gases tóxicos de ambientes fechados. Esses gases são o monóxido de carbono, o formaldeído, o tricloroetileno e o berizerio. Muitas plantas podem ser utilizadas na redução desses compostos que estão presentes no ar que respiramos.  Podemos utilizar além das plantas sugeridas pelo estudo, outras espécies de filodendros, lírios-da-paz, dracenas e da família das aráceas. Essas espécies produzem resultados muito bons. Para absorver ondas eletromagnéticas o cactus colonnaire é o mais indicado.

 

Seguem alguns exemplos:

 

Samambaia

  • Essa planta absorve formaldeído e xileno, compostos orgânicos voláteis (COV) presentes nos mobiliários como colas e tintas.
  • Podem ser utilizadas em corredores, salas, cozinhas e dormitórios.
  • Local de sombra. Regar pouco na primavera e no verão. No inverno quase nada de rega.

 

Cactus colonnaire

  • Absorvem ondas eletromagnéticas emitidas pela TV, monitores de computador e pelo forno de microondas.
  • Podem ser utilizadas em escritórios, salas e cozinha.
  • Precisam de muita luz e pouca rega.

 

 

Dracena

  • Absorve tricloroetileno, xileno, tolueno (muitas vezes usado como um produto industrial ou como um solvente) e monóxido de carbono.
  • Atua contra a maioria dos compostos orgânicos voláteis (COV) da fumaça de cigarro, tintas, tinta, água quente, purificadores de ar, materiais de construção.
  • Podem ser utilizados em escritório, salas, dormitórios. Locais de fumantes.
  • Essa espécie precisa de pouca água, mas muita luz. Utilizar óleo mineral regularmente na limpeza das folhas. Retirar as folhas amareladas.

 

Filodendro vermelho

  • Absorve o formaldeído (a planta mais eficaz nesta área de acordo com a NASA).
  • Filtra tintas tóxicas, colas de carpetes e de papel de parede e fumaça de cigarro. 
  • Podem ser utilizadas em salas de estar e em banheiros. Fácil de cultivar.
  • Local de sombra e meia sombra. Regar mais no verão.

 

 

Palmeira Areca

  • Absorve formaldeído, presente nos gases de escape dos automóveis e no fumo do tabaco. E xileno, que são encontrados naturalmente no petróleo e no alcatrão.
  • Pode absorver compostos orgânicos voláteis (COV) provenientes de purificadores de ar tóxico, fumaça de cigarro, vidros plásticos, papel de parede e carpetes colados.
  • Pode ser utilizada em todas as salas, especialmente nas recém-pintadas.
  • Exige pouca água, mas com regularidade e pulverização das folhas.

 

Lírio da paz

  • Absorve tricloroetileno (um solvente utilizado para desengordurar peças metálicas e também presente na lavagem de roupas a seco).
  • Absorve benzeno, xileno, amônia e formaldeído. Filtra do ar selantes, colas, vernizes, tintas, produtos de limpeza de mobiliário, jornais e impressos, fumaça de cigarros.
  • Pode ser utilizada em todas as salas.
  • Requer pouca manutenção. Exige pouca luz e alta umidade.

 

 

Antúrios

  • Uma das plantas mais indicadas pela Nasa para filtrar amônia.
  • Instalar nos locais onde se utilizou amônia.
  • Colocar em local de luz indireta com abundância de luz.

 

 

 

Aglaonema (Comigo-ninguém-pode)

  • Filtra o formaldeído e o benzeno presente nas tintas tóxicas e nos produtos perfumados.
  • Instalar nos escritórios, salas de estar e banheiros.
  • Fácil de cultivar. Prefere ambiente quente e úmido. Regar regularmente, mas com moderação.

 

 

Ficus

  • O mais eficiente para filtrar formaldeído.
  • Utilizar em salas de estar, escritórios.
  • Crescimento lento. Prefere luz indireta.

 

 

 

Gérberas

  • Absorve benzeno, tricloroetileno, tolueno e formaldeído presentes nos óleos essenciais, perfumes e incenso.
  • Pode ser utilizada em todos os ambientes.
  • Necessita de luz e solo levemente úmido.